sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Encontro dos Trabalhadores Comunistas do PCdoB

No dia 20 de agosto (próxima quarta-feira), a direção intermediária dos
trabalhadores filiados ao PCdoB- Belém, organiza plenária para a apresentação
das teses e discussão sobre o processo do XII Congresso Nacional do Partido Comunista do Brasil.
O evento ocorrerá na sede do Sindicato dos Bancários, que fica situado na 28 de setembro, esquina com a Doca. Qualquer informação ou dúvida ligar para a sede do partido (32300849)ou ainda para Jorge Elias (88418158),Cléber Rezende (91464100), ou ainda para Márcia Pinheiro (91140458).

Alan Frick
SEcretário de Comunicação do PCdoB-Belém

sábado, 8 de agosto de 2009

1º ENCONTRO MUNICIPAL DE DIRIGENTES É UM SUCESSO

Realizado dia 08 de agosto último com êxito, o 1º Encontro Municipal de Dirigentes Comunistas de Belém/PA. Participaram mais de 50 camaradas dos mais variados distritos e segmentos. Sob a coordenação do camarada Alan Frick, o encontro debateu o os documentos do 12º Congresso com breve apresentação de seus conteúdos e os encaminhamentos práticos para o êxito da Conferência Municipal a ser realizada dias 19 e 20 de setembro próximo.

Intervieram no primeiro ponto os camaradas Neco Panzera que falou sobre o novo Programa Socialista e os caminhos para sua realização; Michel Sodré que abordou a crise do capitalismo as conjunturas internacional e nacional e o Governo Lula;
Alan Frick sobre o documento referente à política de quadros.

A seguir sob a coordenação do secretário de organização municipal Neco Panzera, foi apresentado e debatido o plano de mobilização e debate dos documentos, as metas e a necessária regularização das contribuições militantes, condição para a participação qualificada na conferência.

Representantes das várias bases partidárias informaram seus planos de mobilização e o nível de sua realização no sentido de garantir o alcance das metas estabelecidas. Na oportunidade foram distribuídas amplamente a revista que consta os documento e orientações do Congresso, adquirido pela direção municipal, em edição impressa pela direção nacional que estão a disposição da militância pelo preço unitário de R$2,00.

Um extenso calendário de reuniões de base foi informado, demonstrando o interesse geral e as condições plenas de alcançar e mesmo superar as metas estabelecidas, com uma grande contribuição do Partido de Belém para o êxito do Congresso.

No encerramento a direção municipal orientou para o necessário tensionamento das forças partidárias e manifestou a confiança em sua combativa militância para a realização de mais esta grandiosa tarefa.

Neco Panzera- Sec. Municipal de Organização

domingo, 2 de agosto de 2009

Maldito Virgílio

Maracarthu Virgílio
01
O Brasil vem se sentindo
Agredido e ultrajado
Em função da pajelança
Que se instalou no Senado,
Com mil escândalos profundos
Onde se vê sugismundos
Criticando o mal lavado.
02
Já está passando de um mês
De trocas de acusações.
Cretinos criticam crápulas,
Capos pré-julgam ladrões...
Cafajestes e c analhas
Vão se enroscando nas malhas
Das suas próprias prisões.
03
Longe de mim, defender
Sarney, destes Catilinas,
Que extirpam os ventres das
Suas próprias ‘agripinas’,
Já que engatam as próprias rés,
E atiram nos próprios pés
Pisando as próprias propinas!
04
É o caso de Virgílio,
Esse espírito de urubu,
Vaca louca de presépio,
Bibelô, “Maraca(r)tú”
Cadente estrela sem brilho
Que, igual ao próprio filho,
É um reizinho que anda nu.
05
Esse príncipe do apito,
Corneta, chocalho e bombo
Quanto mais atira em outros
Mais provoca o próprio tombo;
Quanto mais fala besteira
Mais o cipó de aroeira
Volta-se pra o próprio lombo.
06
Ultimamente, por que
Não conseguiu um emprego
Para a esposa do amigo
Fez grande desassossego...
‘Rebucetê’ temerário
Fazendo em pleno plenário
Mil ses s ões de descarrego...
07
Ele saiu atirando
Contra tudo e contra todos
E quanto mais ele expôs
Dos outros, lamas e lodos,
Mais apareceram as suas
Trambiqueiras falcatruas
E os seus pecados e engodos.
08
E ninguém venha dizer
Que o bizarro senador
Faz esse salseiro todo
Com fim moralizador,
Mas porque Agaciel
Tirou a taça de mel
Do seu lábio usurpador
09
Na verdade, na verdade
Já prevalece outra tese
Que diz que todo este ‘auê’
É bom que se meça e pese
Que é só porque sua Aspone
De nome Vânia Maione
Viajou na maionese...
10
Maione, pra quem não sabe,
É a esposa de Homero
Aquele que Arthur Virgílio
Quando solta o lero-lero
Diz nas conversas mais tontas
Que é ele quem paga as contas
Do seu cartão saldo zero!
11
Vânia era quem dirigia
Um tal de ILB
Instituto Legislativo
Brasi le iro (não sei quê)...
Uma dessas sinecuras
Que sempre abrigam figuras
Do tal PSDEMB.
12
Como aquela que engordava
A Luciana Cardoso,
A filha de FHC
Que tinha um cheque pomposo
Na sombra de Heráclito Fortes
Só para cuidar dos cortes
Do seu cabelo charmoso.
13
Esse mesmo Arthur que diz
Que quer o Brasil nos trilhos
Emprega em seu gabinete
O maridão e três filhos
De Vânia Maione que
No tal do ILB
Engordava os seus novilhos.
14
E como se não bastasse
Ter essa “Grande Família”
Mamando nas tetas públicas,
Nem todos vivem em Brasília...
Um deles vive em Paris
Pois pra os dele, já se diz:
Virgílio não quer vigília!
15
Carlos Alberto de Andrade
Nina Neto é o rapaz
Que o senador moralista
Liberou tempos atrás
Para estudar em Paris
E esse crápula infeliz
Diz que é direito demais.
16Nina Neto ficou lá
Entre estudo e curtição
Quatro mil euros por mês
Engordando seu saldão;
O pimpolho se formando
E a sua conta pesando
No erário da nação!
17
E ainda tem outra turma
Em Manaus sem trabalhar,
Um professor de Jiu-Jitsu
Para ao Virgílio ensinar
Tudo quanto é golpe baixo
Pra ele pensar que é macho
E a Lula ameaçar.
18
Pois bem, esse Arthur ‘Vigia’
Que usa estilo trator
Condenando o Caixa 02
Que ao PT deu dissabor
Recebeu, não se ignora,
40 milhas por fora
Pra se eleger senador.
19
Esse mesmo “Errei Arthur”
De maneira endiabrada
Defendeu lá no Senado,
Do seu filho a presepada
Que em Euzébio, Ceará,
Andou mostrando por lá,
O Bumbum pra delegada!
20
Esse filho mal criado
Que o paizão joga confete
Na praça pública de Euzébio
Com arrogância e topete
Para um ca sal virou fera
Por não dizer-lhe onde era
O Cabaré da Tia Bete.
21
Quando a notícia espalhou-se
Como de pólvora um rastilho,
Na tribuna do Senado
Arthur Rinchou num estribilho:
Eu dou uma surra urgente
No homem que é presidente
Se mexerem com meu filho...
22
Foi o mesmo Arthur Virgílio,
Que adora CPIs
Que agiu como carrasco,
Da dos Pedófilos, pois diz
A Wikipédia, e eu li
Que arrancou da CPI
Seu amigo Omar Aziz.
23
Esse Omar, é seu colega,
Foi vice-governador,
Prostituía menores
Em Manaus, sem ter pudor.
E Arthur também fez mutretas
Presenteando ninfetas
Com jóias de alto valor.
24
Até pra cuidar da mãe
Praticou atos nojentos
Na conta de trinta mil
Deu pra mais de vinte aumentos.
Não quer que ninguém estranhe
Que pra tratar sua mãe
Gastou mais de setecentos!
25
E quando foi o p refe ito
De Manaus, o senador
Foi forçado a devolver
À União, o valor
De cento e cinqüenta mil...
Verba que tomou Doril
Segundo o Corregedor!
26
E quando foi Secretário
Geral de FHC
Em camarotes privados
Do Sambódromo fez “auê”
Foi pra Comissão de Ética
E soltou desculpa patética
Mentindo de A a Z.
27
E quanto à grana emprestada
Em Paris, tem-se a suspeita
De que jamais foi quitada
Nem declarada à Receita
Com Agaciel foi grosso
Mas a grana do seu bolso
Foi por Arthur bem aceita.
28
Deu calote em Agaciel
Sonegou tributação
Parece até o provérbio:
Ladrão que rouba ladrão...
E foi descoberto agora
Que nem a casa onde mora
Foi declarada ao Leão!
29
Este falso paladino
Continua impunemente
Brigando contra a verdade
Agredindo a nossa mente
Massacrando a própria ética
Com ame aça patética
De bater no presidente.
30
É por isso que nas urnas
Já se tornou rejeitado
Só tirou cinco por cento
Pra o Governo do Estado.
Jamais será reeleito
E o filho nu, pra prefeito,
Foi o quinto colocado...
31
O engraçado é que a mídia
Dá espaço ao que ele diz
Não denuncia os trambiques
Notórios deste infeliz
Nem dessa corja que grassa,
Que degrada e que desgraça
A moral deste País.
32
Mas na lixeira da História
No futuro hei de encontrar
Virgílio junto a Gilmar,
Agripino e toda a escória
Do MaracARTHÚ atômico
Esse time tragicômico,
Essa carrada de antas
Que o PIG pauta e escuta
Regidos pela batuta
Do capo Daniel Dantas!

Crispiniano Neto é poeta

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Reorganizado o Núcleo da UJS em Icoarací

Dias 20 último, foi reorganizada a coordenação do Núcleo Distrital da UJS em Icoarací. Passam a participar da coordenação a camarada Luziana Cristina, Secretária de Juventude do Comitê Distrital do DAICO, a camarada Josi, Diretora de Juventude do Conselho de Entidades Populares de Icoarací, junto a outros novos companheiros. Deverão integrar a nova coordenação companheiros(as) que não estiveram presentes para fortalecer o trabalho.

Foram discutidas as possibilidades e potencialidades do trabalho de juventude no Distrito e a necessidade de um acompanhamento sistemático da Direção Municipal de UJS.

Foi marcada para o próximo sábado, e dia 27, reunião de planejamento das atividades do Núcleo.

Participaram da reunião as camaradas Maíra e France, respectivamente, Presidenta e Secretária de Organização Municipal da UJS-Belém, e os Secretários Municipais de Juventude e Organização, Michel Sodré e Neco Panzera.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Comitê Municipal aprova Resolução Política para armar a militância partidária

O Comitê Municipal do PCdoB Belém aprovou em clima de bastante unidade uma
resolução política para armar a militancia do Partido. O centro da análise é de que
é preciso dar continuidade aos avanços da experiência exitosa do Governo Lula e
Ana Júlia na batalha eleitoral de 2010 que se aproxima. Nesse batalha, Belém é o centro nevralgico da luta de classe no Estado e assume o grosso
da dinâmica política. O Partido avaliou que a administração do governo Duciomar Costa é calamitosa, e
que é necessário um amplo movimento de oposição ao Prefeito, em face do caos da
saúde e do histórico de corrupção em que se encontra submersa a administração
municipal, ainda mais quando somente em recursos do PAC Belém vai receber mais
de R$ 544 milhões de reais. O Comitê Municipal avaliou que o momento é propício
para uma intervenção qualificada do Partido, que deve se colocar como
alternativa concreta de poder para a cidade de Belém, ampliando a base política
eleitoral em 2010, e acumulando para as eleições de 2012. É o seguinte o inteiro teor da Resolução:


O Brasil se vê diante de uma encruzilhada em 2010: dar continuidade aos avanços da experiência exitosa do governo Lula, ou retroceder, na hipótese de uma vitória do PSDB para Presidência da República, com conseqüências funestas para o povo brasileiro e para o movimento progressista em curso na América Latina. No Pará, nosso objetivo é dar continuidade ao Governo Ana Júlia Carepa, onde os desafios são de grande magnitude, sobretudo em face da herança deixada após 12 anos de governo tucano, algo comparado a um “estado de terra arrasada”.

Neste sentido a grande tarefa do Comitê Municipal do PCdoB, de seus militantes, filiados, simpatizantes e de todo o povo é contribuir para a vitória do campo popular na batalha eleitoral de 2010, esfera concentrada da luta política em curso no país. Belém é o centro nevrálgico da luta de classes no Estado do Pará, onde se concentra o grosso da dinâmica política, daí a importância do protagonismo do Partido na Capital para o sucesso do projeto político das forças de esquerda.

O PCdoB encontra-se num momento virtuoso de sua estruturação. De forma altaneira participou do embate eleitoral de 2008, montando uma chapa de vereadores e indicando a candidata a Vice Prefeita em coligação com o PT. Por muito pouco não elegemos nosso representante na Câmara de Vereadores, e nossa coligação não chegou ao 2º turno. No entanto fomos conseqüentes na luta, promovendo várias lideranças no cenário político. Avaliamos e tiramos lições que servirão para as batalhas futuras.

A Comissão Política Municipal (CPM) deu início ao Planejamento Estratégico do Partido para o período 2009/2010, onde foram tiradas as seguintes diretrizes prioritárias de ação: 1) construir o Projeto Eleitoral 2010/2012, 2) reforçar nossa atuação nos movimentos sociais, 3) fortalecer a direção municipal e construir comitês instermediários, 4) realizar a maior Conferência Municipal preparatória ao 12º Congresso do partido, e 5º) reforçar as políticas/secretarias de Formação, Finanças e Comunicação do Comitê.

Grandes êxitos já foram alcançados. Mais é preciso um esforço maior de toda a direção e militância para que as tarefas que nos foram conferidas sejam colocadas em ação. A maior delas, que o Partido tenha maior inserção no curso da vida da cidade, viva seus problemas, influa nas soluções, mergulhe nos movimentos sociais organizados e difusos, juvenis, comunitários, trabalhadores, negros, deficientes, lgbt, esportes, mulheres, entre outros

Esse esforço ganha mais importância em face dos impactos urbanos significativos que a cidade sofrerá nos próximos anos, com efeitos benéfico sobre sua população mais sofrida. O Governo do Estado, em parceria com o Governo Federal, através dos recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) está investindo R$ 224 milhões em 5 grandes obras de habitação/saneamento (Fé em Deus, Duas Irmãs, Pantanal, Taboquinha e Riacho Doce). Sem falar nas obras viárias como a duplicação da Av. Perimetral (R$ 60 mi / 6 km), duplicação da Transmangueirão (R$ 25 mi / 11,7 km), Rod. Arthur Bernardes (R$ 40 mi / 14 km), Av. Independência (4,7 km), além dos elevados da Júlio César e o Túnel Paulo Fonteles, ligando a Av. Perimetral a Av. Dr. Freitas, por baixo da Av. Almt. Barroso. Todas estas obras viárias ameaçadas de contigenciamento, devendo os movimentos sociais influenciados pelo Partido lutar pela sua plena execução conforme cronograma anunciado no Fórum dos Movimentos Sociais.

A Gerência do Patrimônio da União (GRPU), órgão no Estado dirigida pelo camarada Neuton Miranda, iniciou o maior programa de regularização fundiária em curso no Brasil. Abrange áreas de terrenos de marinha, que só na 1º légua patrimonial de Belém equivale mais de 70% do território da cidade. São mais de 200 mil imóveis passíveis de serem regularizados através de um instituto jurídico simplificado denominado Concessão de Uso Especial para Fins de Moradia de Interesse Social (CUEM). Todos os camarada são chamados a se integrarem nesse processo que permitirá fortalecer a ação institucional do Partido.

Da parte da prefeitura de Belém, no início de abril foi assinado o contrato de empréstimo com o BID, no valor de US$ 137,5 mi (R$ 278 mi) para a macro-drenagem da Bacia da Estrada Nova (Promaben). Somado a R$ 150 milhões de recursos do PAC, será uma intervenção tão grande ou maior que a macro-drenagem da Bacia do UNA, abrangendo desta vez os bairros do Jurunas, Condor e Guamá. A prefeitura também é responsável dentro do PAC por executar as obras de urbanização do Paracuri no total de R$ 65 mi, e a 3º etapa da Vila da Barca com recursos previstos R$ 51 mi.

Somente nestes três projetos, Portal da Amazönia (Promaben), Paracuri e Vila da Barca 3, a PMB vai gerenciar um volume de recursos de mais de R$ 544 milhões de reais, que precisam ser fiscalizados, não só pelos órgão públicos de controle, mais pelas Comissões de Fiscalizações (Cofis) da qual o Partido deve se empenhar em participar de todas elas, não só por ser importante instrumento de ligação junto amplas massas do povo, mais em face do histórico de corrupção que se encontra mergulhado o Governo Duciomar Costa, com várias denúncias formuladas pelo Ministério Público Federal e Estadual.

Não por acaso a situação de Belém é calamitosa. O Prefeito literalmente está se lixando para o povo. Quase todo o dia ocorre um conflito entre a Prefeitura e a população. Conflito com os moradores da 25, com os moradores do BASA, com os camelôs; com barraqueiros de alimentação, com os servidores públicos em greve. Com as chuvas a cidade se viu submersa, pois seus bueiros e canais não foram preparados para o rigoroso inverno. O lixo se acumulou e o trânsito ficou caótico. As obras eleitoreiras são abandonadas. As ruas recapeadas às vésperas das eleições são a prova cabal do verdadeiro estelionato eleitoral em que se consumou a reeleição do Prefeito Duciomar Costa.

Na Câmara de Vereadores, a base governista manobra para impedir uma legítima CPI que investigue o caos da saúde pública. Mortes por falta ou mau atendimento viraram rotina nos prontos socorros municipais. Os postos de saúde funcionam em condições precárias, havendo debandada de médicos e profissionais de saúde devido as más condições de trabalho.

O quadro político pré-eleitoral encontra-se em conformação. Os grupos esquerdistas inconseqüentes, em especial o PSOL, aproveitam-se do caos para de forma equivocada vincular a realidade de Belém com ataques aos Governos de Lula e Ana Júlia, levando ao isolamento, os movimentos em curso. Por sua vez, o PT encontra dificuldades em ter uma postura mais clara de oposição, por conta da participação do PTB de Duciomar na base de apoio do Governo Ana Júlia, não apostando na mobilização de sua base social. O PMDB ataca a administração municipal.

O PCdoB precisa participar de forma mais ousada deste combate. O Comitê Municipal avalia que o momento é propício para uma intervenção qualificada do Partido, que deve se colocar como alternativa concreta de poder para a cidade de Belém, protagonizando com outras forças um vigoroso movimento político e de massas, de oposição ao Governo Duciomar Costa, em defesa dos direitos do povo. Entende ser necessário reorganizar a Coordenação dos Movimentos Sociais. As iniciativas políticas devem servir para ampliar a base política e eleitoral em 2010, acumulando para a eleição de um projeto democrático e popular para a Prefeitura de Belém em 2012.

Algumas tarefas concretas que se colocam na atualidade para os Comunistas:

1 – Protagonizar um amplo movimento de oposição ao Governo Duciomar articulando todas as frentes de atuação partidária em nossa base de atuação social.
2 – As entidades das frentes de massas que têm participação de militantes do PCdoB em sua direção devem dar prioridade a reorganização da CMS no âmbito da capital, interagindo com a ação institucional e o processo de organização partidária.
3 – Reorganizar os debates do bloco de esquerda, sob a coordenação do Comitê Estadual.
4 – Seguir articulando as lideranças com atuação principal na cidade de Belém, com o objetivo de fortalecer a candidatura federal e a chapa estadual para 2010.
5 – Participar ativamente do projeto de regularização fundiária da GRPU/Governo estadual, visando dar visibilidade à ação institucional do Partido e de suas lideranças neste área.
6 – Integrar todos os dirigentes, lideranças e militantes, no processo em curso de estruturação partidária, preparando as bases para a Conferência Municipal e as eleições 2010. Intensificar a campanha de filiação partidária, principalmente de lideranças políticas e de massa.
Belém, 29 de maio de 2009.

domingo, 31 de maio de 2009

ENCONTRO DE MILITANTES CRIA O DISTRITAL DO DAGUA

Sábado último, aconteceu o Encontro dos Militantes do Partido, no distrito administrativo do DAGUA, com a participação de cerca de 70 camaradas dos mais diferentes bairros. Sobre a coordenação do camarada Antonio Oliveira foi composta a mesa com a participação do camarada Mario Hesketh, vice-presidente do Comitê Municipal, Neco Panzera, secretário de organização do CM, Roberdan Carvalho, secretário de movimentos sociais, Lia Menezes, coordenadora da UBM e o camarada Jairo da coordenação estadual da UNEGRO.
O camarada Mário fez uma exposição sobre os desafios políticos do Partido e as diretrizes centrais da direção municipal, Roberdan falou sobre o trabalho do Partido nos movimentos sociais, Lia e Jairo discorreram, respectivamente, sobre as frentes de mulheres e negros. O camarada Neco, expôs o plano de estruturação municipal do PCdoB, a importância da organização partidária e a necessidade da construção dos Comitês Distritais, em particular o do DAGUA, que abriga um terço da população de Belém.
Vários camaradas se pronunciaram concordando com a criação do distrital e se colocando a disposição para contribuir no esforço organizativo do Partido.
Ao final, foi composta a coordenação provisória com a participação de 13 camaradas dos mais diferentes bairros e segmentos com direito a pose para fotos e o brado de salve o Partido Comunista do Brasil.

ENCONTRO DE LIDERANÇAS COMUNITÁRIAS COMUNISTAS

Dia 30, último, ocorreu o 1º Encontro de Lideranças Comunitárias Comunistas de Belém do Pará. Com a participação de cerca de 30 camaradas, ativistas do movimento comunitário, do presidente estadual do PCdoB, Neuton Miranda, do camarada Raul Carrion, deputado estadual do PCdoB do Rio Grande do Sul, em visita à cidade, da vice-norte da CONAM, camarada Aldenora Gonzalez, de Graça Antunes, diretora da CONAM, e Neco Panzera, secretário de organização municipal do PCdoB, sobre a coordenação do camarada Roberdan Carvalho, secretário municipal de movimentos sociais, foram debatidos os desafios atuais da frente comunitária e a necessidade do Partido ter uma atuação mais organizada e ofensiva na frente, com uma linha definida de atuação, e um trabalho integrado das mais variadas entidades dirigidas por lideranças comunistas.

CRIADO COLETIVO DE PORTADORES DE DEFICIÊNCIA

Foi criado dia 28 de maio, o primeiro Coletivo de Portadores de deficiência da história do Partido. Fato inédito, ocorreu em Belém do Pará, e contou com a presença de 7 camaradas, representando mais de 15 filiados, todos lideranças do movimento de deficientes visuais. Mesmo com a greve de ônibus, e numa noite de chuva, os camaradas se deslocaram de bairros distantes da cidade, demonstrando a vontade e disposição de participação política.trabalho neste segmento teve início no Partido graças ao empenho do camarada Antonio Carlos Junior, uma das mais destacadas lideranças do movimento no Estado, que aderindo ao PCdoB construiu a filiação dos atuais ativistas ao Partido.Antonio Carlos Junior foi andidato a vereador pelo PT em 2004 e em uma campanha repleta de dificuldades e sem recursos obteve mais de 2700 votos. Nas últimas eleições somente não se elegeu vereador pelo PCdoB por que teve problemas em sua prestação de contas, e sua candidatura foi impugnada. A reunião, convocada pela Secretaria Municipal de Organização, destacou-se pelo entusiasmo e a disposição de luta dos camaradas. Vários testemunhos da situação dramática que vivem brasileiros desse segmento, sensibilizaram a todos. Um dos companheiros, do município de Itaituba, Oeste do Pará, e hoje presidente da Associação de Portadores de Deficientes daquele município, contou, que há alguns anos , foi ao prefeito reivindicar a adoção do sistema brailler em escolas públicas, e o mesmo lhe disse que cego não precisa de educação, já recebe salário do governo e se quiser mais dinheiro que vá pedir esmola. O companheiro não se abateu e foi à luta. Foi candidato a vereador na última eleição obtendo 555 votos e sua Associação conta hoje com 1122 associados.

Debateu-se na reunião a necessidade de aliar a luta dos deficientes à luta pelo socialismo, e da necessidade do Partido ter uma ação organizada no segmento, defendendo bandeiras próprias e fortalecendo as entidades da categoria.

Todos saudaram a criação do coletivo, comprometendo-se a fortalecer o Partido e contribuir na construção de seu projeto político.

No final foi eleita a direção do coletivo composta de cinco camaradas sendo duas mulheres, todos deficientes visuais. Entre as programações aprovadas, foi marcado a realização de um curso de formação a ser realizado no próximo mês.

Ao encerrar a histórica reunião, um dos camaradas, defendendo a luta por uma nova sociedade, afirmou que “o amanhã se constrói hoje” e que “o sonho sozinho é sonho, mas quando o sonho é sonhado por muitos, se transforma em realidade.”

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Vídeo que mostra a sujeira e desorganização no DCE da UFPA...

Esta é a gestão que quer se reeleger na chapa "Não temos tempo a perder"...
eles não tem mesmo, nem pra uma faxina...
video

Criado o Coletivo LGBT do PCdoB

Dia 22.05, às 16 horas ocorreu a primeira reunião que fundou o Coletivo LGBT do PCdoB em Belém do Pará. Por iniciativa da Comissão Municipal de Organização, sete companheiros, militantes do movimento LGBT, reuniram-se na sede do Partido, com o secretário municipal de organização, com o intuito de debater a necessidade dos comunistas terem uma atuação organizada nesse importante movimento social.
Definiu-se a necessidade do Partido construir uma linha política de atuação no movimento que deverá unir as demandas específicas com a luta pelo socialismo e o projeto de nação defendido pelo Partido. No entendimento de que a emancipação definitiva do povo brasileiro e a superação de todo o tipo de injustiça, discriminação e violência, somente será possível, com o fim do capitalismo e a construção de uma nova sociedade fraterna, solidária e igualitária – a sociedade socialista.
Por proposta da reunião, resolveu-se organizar um Seminário do PCdoB que debata as bandeiras e as formas de atuação do Partido na frente. Uma das idéias é organizar uma “corrente”, que defenda uma linha políticaque caracterize a atuação dos comunistas no movimento.
Foi marcada nova reunião para amadurecer as questões debatidas buscando juntar um número maior de participantes para dar mais consistência ao Coletivo e às ações propostas. Todos os(as) camaradas que tenham alguma participação no movimento estão convidados a engrossar essa corrente.

Marcos Panzera- Neco
Sec. de Organização do Diretório Municipal

Intensa agenda de luta!

Maio

25 (2ª)
*Coordenação do DAGUA -17 hrs – Sede
*Debate Regularização Fundiária –Barreiro

26 (3ª)
*Direção UFPA-14:30 h
*Com.Pol.Mun.-15 h
*Reunião Juventude- à partir das 19:00
*DAICO -Debate sobre Regularização Fundundiária- Alan Kardek

27 (4ª)
*Eleições SINTEPP
*Comissão Org.-15 h (sede)
*Organismo de Base dos Advogados,17h-sede
*Debate Regularização Fundiária, Trav.Breves-Cid.V.)

28 (5ª)
*Oficina CONAM
*Eleições SINTEPP
*LGBT-15 h –sede
*Organismo de Base do Telégrafo-19h
*Direção DAICO– 19 h
*Coordenação DABEN 18h, casa Conceição Carvalho

29 (6ª)
Oficina CONAM
Pleno Comitê Mun. -18h – sede

30(sab)
*Encontro Comunitario-SEDE
*Coletivo Deficientes- Sede
*Encontro DAGUA-no clube ASA 16h
*Organismo de Base do Fátima – 16h)

31(dom)
Organismo de Base da Sacramenta – 10 h

Junho


04 (5ª)
Direção Int.Trab.-16h – sede
Lançamento livro Hoyos –Hotel Soft, Brás,612 – 19h

06 (sab)
Encontro DASAC)

08 (2ª)
Eleição DCE – UFPA)

09 (3ª)
Eleição DCE – UFPA)

10 (4ª)
Debate:Atualidade Idéias de Paulo Fonteles – Direitos Humanos e Luta pela Terra –
Ass.Legislativa)

12 (6ª)
Encontro Partido/UJS

26-27-28 (6ª,sab,dom)
Curso Sindical do CES/CTB

A ORGANIZAÇÃO DA DIREÇÃO DISTRITAL DO DASAC A PLENO VAPOR

Dia 21 último, ocorreu a reunião da Comissão Organizadora do Comitê Distrital do DASAC. Com a participação dos camaradas: Marcio Freitas, Sebastião Santos -Sabá, Carlos Chucre, Socorro Leite, Afonso Palhares, Pablo, Marlen e Berina, foram debatidas as questões referentes à organização da direção distrital, suas tarefas e responsabilidades. Decidiu-se ampliar a coordenação buscando integrar outros camaradas que possam assumir as mais diferentes tarefas.

Foram marcadas reuniões para constituir as OBs, na Pedreira (23.05 às 14 hrs), Telégrafo (28.05 às 19 hrs), Fátima (30.05 às 16 hrs), Sacramenta (31.05 às 10 hrs) e o encontro de filiados para o dia 6 de junho próximo.


Marcos Panzera- Neco

Sec. de Organização do Diretório Municipal

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Blog do Camarada Neuton Miranda



O Camarada Neuton Miranda já possui um Blog

Comissão Política Municipal inicia a marcha para a Conferência

Nesta última quarta-feira, a Comissão Política Municipal do PCdoB em Belém reuniu-se, com o acompanhamento de Márcia Pinheiro (Comissão Estadual de Organização), para atualizar o quadro político e iniciar os debates sobre a construção da Conferência Municipal do PCdoB.
Sobre o quadro municipal, Leila Márcia (presidenta municipal e dirigente do Comitê Central) apresentou o quadro caótico da conjuntura belenense. Sobre este assunto ela afirma: "A administração de Duciomar Costa é um desgoverno, sem um projeto de desenvolvimento da cidade, com uma visão política atrasada, baseada em pura troca de interesses e de composição com militantes da direita paraense." e continua, "é necessário que o Diretório Municipal manifeste-se claramente contra estes absurdos.". A grande maioria das intervenções foram neste sentido e como encaminhamento prático, Leila, Neco Panzera ( Sec. de Organização) e Mário Heskett (vice-presidente) ficaram responsáveis pela produção de um texto que norteará a ação de todas as nossas frentes com relação à política municipal.
Sobre a Conferência, Neco Panzera apresentou um relatório do que vem sendo produzido na área da organização. A constituição da direção intermediária do DAICO, DASAQ, dos tarbalhadores. A plenária do DAGUA está marcada para dia 30, às 16:00 no Clube ASA (Na 9 de janeiro, entre Gentil e Magalhães, na frente do Goeldi) e a do DABEN está em processo de construção. Ainda neste ponto foi eleita a direção da base da UFPA. Muitas outras frentes, como a de Cultura e a de Comunicação estão em constituição também. Sobre isto, Neco afirma " vivemos um momento muito rico na história do partido em Belém. Depois de nossa ousadia no pleito municipal do ano passado amadurecemos e ampliamos nossas forças, liberamos uma energia represada há tempos e o resultado está aparecendo. A abertura cada vez maior do partido para lutadores e lutadoras de todos os setores da sociedade está em pleno curso. Junto a isso, está em curso a construção de um sólido sistema de direção deve garantir a coesão que nos caracteriza, com cada
vez mais democracia." antecipa Neco.
A meta inicial de militantes reunidos nas reuniões das bases partidárias é de 1000 camaradas. Desta forma, queremos construir uma das maiores e mais politizadas Conferências de nossa, já não tão curta, caminhada. A idéia é que a Conferência tenha dois dias e que aconteça em meados de setembro deste ano, antecipando a Conferência estadual e 0 12º Congressoa Nacional do Partido Comunista do Brasil.
A seguir foi socializada a agenda das secretarias presentes que segue:
22/05- sexta-feira
10:00h- fundação do coletivo LGBT, na sede do Partido
16:00- reunião dos trabalhadores na sede do Partido
16:00- Plenária de jovens comunistas, que iniciará a campanha de filiação de jovens da UJS ao PCdoB.
30/05- sábado
16:00- Plenária de comunistas do DAGUA, no ASA
quem quiser inserir novas agendas, por favor o faça.
Pode ser por comentário a este artigo, ou mesmo para o
endereço eletrônico: pcdobelem@gmail.com
Alan Frick
Secretário Municipal de Comunicação

segunda-feira, 18 de maio de 2009

ICOARACI REALIZA O 1º ENCONTRO DE FILIADOS



Realizou-se dia 16 último, o 1º Encontro de Filiados do PCdoB do Distrito Administrativo de Icoarací – DAICO.
Participaram em torno de 80 camaradas em clima de animação e entusiasmo e com presença expressiva de filiadas mulheres.
O Encontro foi coordenado pelo camarada Paulo Maia, membro da Comissão Municipal de Organização e convocado por uma comissão organizadora composta pelas camarada Sara, Ivonete, Elói, Safira, Rita Mirian, Prof. Graça e Gersino, com o acompanhamento da Comissão Municipal de Organização.
O camarada Paulo Maia abriu o Encontro explicando a importância do evento, agradecendo a participação de todos e compondo a mesa, que teve a participação do vice-presidente do Comitê Municipal, camarada Mario Hesketh, do secretário municipal de organização, Marcos Panzera (Neco), da camarada Graça Antunes, representando a CONAM, do secretário municipal sindical, camarada Jorge Elias e Michel Sodré, secretário municipal de juventude.
O camarada Mário Hesketh falou dos desafios políticos do Partido na atualidade exaltando o exemplo dos camaradas de Icoaraci com a realização do 1º Encontro com grande participação. O camarada Marcos Panzera explicou o plano de organização partidária para Belém e a importância da realização do Encontro que deverá ser o passo inicial para a construção de um grande Partido em Icoarací, com a eleição da direção provisória e das organizações de base em todos os bairros do Distrito. Os camaradas Jorge Elias, Michel e Graça, falaram respectivamente dos trabalhos nas frentes de massa, sindical, de juventude e comunitária e a necessidade do crescimento da intervenção do Partido nos movimentos sociais.
Pronunciaram-se a seguir os camaradas Rildo Jastes e Elói, enaltecendo a realização do Encontro. O camarada Rildo fez um discurso entusiasmado ressaltando a grande participação das mulheres e a necessidade do Partido em Icoarací ter a marca da luta pelos interesses do povo sofrido de Belém. Assim como o camarada Elói que falou que aquele acontecimento representava a realização de um sonho de construir um forte Partido em Icoarací.
Em seguida, o camarada Paulo Maia encaminhou a eleição da direção provisória do Distrital de Icoarací, sendo eleitos com grande entusiasmo os camaradas com suas respectivas tarefas: Sara e Gabriel – organização; Safira e Terezinha – comunitário; Ivonete e Fatima – mulheres; Rita Mirian – formação; Elói – trabalhadores; Eder – negros; Prof. Graça – cultura; Luziana – juventude; Gersino – aposentados.
Para finalizar o Encontro, a camarada Rita Mirian falou da importância da participação das mulheres e a necessidade de se criar um núcleo da UBM em Icoaraci como uma das tarefas fundamentais da nova direção, ressaltando a expressiva presença de mulheres na direção eleita.
Por fim, o camarada Paulo Maia deu por encerrado o Encontro, convidando a todos para um lanche regado a refrigerante
.
Marcos Panzera- Neco
Secretário Municipal de Organização

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Início da materialização de nosso Planejamento Estratégico

Neste mês de maio, a Comissão Política Municipal do PCdoB entra no segundo mês de implementação de seu Planejamento. Foram dois meses de reuniões, com a apresentação de diagnósticos e explanações dos planos de ação de cada secretaria. Por fim estes foram compilados em um documento que pretende construir uma nova fase da organização partidária em nossa cidade: um partido fortemente enraizado, articulado e misturado com a sociedade, com muita democracia interna e capacidade de intervenção política nos principais temas em discussão.
A Secretaria de Formação inicia a capacitação de mais de uma dezena de formadores que ministrarão os CBVs (Cursos Básicos em Vídeo)e enraizarão a prática da formação. Augusto Cleybe, Secretário Municipal de Formação afirma: "fizemos uma reunião de formadores que já traçou o plano de 30 pequenos encontros com o objetivo de formar 600 filiados e militantes até o fim do primeiro semestre. Esta iniciativa pode garantir um maior nível de organicidade da militância e uma intervenção mais sofisticada nas mais diversas áreas em que os e as comunistas atual"
A Secretaria de Organização já avançou consideravelmente em alguns itens do Planejamento, exemplo disso foi a organizações do Encontro de Trabalhadores Comunistas, que, entre outras coisas, discutiu a necessidade de um maior nível de atuação de nossos trabalhadores com os organismos e a vida partidária. Para Neco Panzera, nosso Secretário Municipal de Organização, " iniciamos a materialização de nossos planejamento de forma exitosa: as reuniões para a construção das novas direções intermediária já aconteceram e, na próxima reunião da Direção Municipal teremos condições de apresentar um grande avanço no processo de fortalecimento de nosso sistema de direção, que um dos pilares de nosso planejamento municipal."
Na área da Comunicação também iniciamos a construção de uma maior visibilidade das ações partidárias. Está criado o "Informe Vermelho", Blog do Diretório Municipal do PCdoB, que pretende expressar as idéias e ações que desenvolvemos. Junto a isso foi criado um informativo impresso e eletrônico que terá uma compilação das melhores matérias postadas durante o mês no Blog e enviadas para nossa mala direta, e, no caso do impresso será distribuído junto com as classes operárias. Também foi criado o perfil do ORKUT do PCdoB- Belém, que já conta com mais de 80 amigos e revitalizada a Comunidade do PCdoB- Beçém, também no ORKUT.
Enfim, apresentamos o documento de Planejamento do PCdoB-Belém:
Alan Frick
Secretário Municipal de Comunicação

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
PCdoB – Belém/PA
Biênio 2009/2010

Iniciamos o ano sobre a égide da crise mundial do capitalismo e o avanço da luta dos povos, em particular na América Latina. O neoliberalismo desmoralizado sofre derrota profunda e abrem-se possibilidades de novos caminhos e perspectivas. O socialismo coloca-se com mais força como alternativa ao capitalismo. São sinais de que a fase de defensiva estratégica vai chegando ao fim, dando início a uma nova era de ofensiva na luta dos povos.
O ano que se inicia é decisivo na preparação da grande batalha de 2010 quando serão novamente confrontados o caminho da continuidade do projeto de mudanças inaugurado com o Governo Lula e a possibilidade do retrocesso. Nosso Partido está chamado a jogar papel mais protagonista, buscando aumentar sua força nas próximas eleições, ocupando novos e maiores espaços.
2009 é o ano de preparação. De buscar fazer crescer nossas fileiras, organizá-las e capacitá-las para a grande e decisiva batalha de 2010. No Estado precisamos nos esforçar pelo êxito do Governo Ana Júlia e sua reeleição, retomar nosso espaço na Assembléia Legislativa e na Câmara Federal. O Comitê Municipal precisa contribuir para a montagem de uma chapa competitiva de candidatos a deputados estaduais e se habilitar a dar grande contribuição na sesta estadual de votos com seus candidatos. Ao mesmo tempo contribuir para a retomada da prefeitura pelas forças populares, e acumular forças para a reconquista da vaga na Câmara de Vereadores.
2009 é o ano do XIIº Congresso do Partido, de enfrentar o debate de idéias, de elaboração, organização e renovação.
A inauguração da aplicação da nova tática do Partido, nas eleições de 2008, trouxe novos desafios para o processo de construção partidária. Com a participação na chapa majoritária e o lançamento de mais de duas dezenas de candidatos a vereador ampliamos nossas relações sociais, lançamos dezenas de novas lideranças no cenário político municipal, tornando o Partido mais conhecido e considerado. Centenas de novos filiados adentraram a organização partidária e buscam um espaço para sua participação.
É preciso se adequar a essa nova realidade. Precisamos atender às expectativas das novas lideranças e novos filiados, capitalizar o trabalho desenvolvido trazendo para nossas fileiras, novas e expressivas lideranças que poderão encontrar no PCdoB uma organização capaz de atender seus ideais de participação política. Precisa acumular força e se preparar para novas batalhas.
A campanha eleitoral trouxe à tona nossas potencialidades, nossos pontos positivos e nossas debilidades. Apreender da rica experiência os ensinamentos e adequar nossas formas de organização e nossos métodos de direção e trabalho visando alçar o PCdoB a um novo patamar.

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
PCdoB – Belém/PA
Biênio 2009/2010

Iniciamos o ano sobre a égide da crise mundial do capitalismo e o avanço da luta dos povos, em particular na América Latina. O neoliberalismo desmoralizado sofre derrota profunda e abrem-se possibilidades de novos caminhos e perspectivas. O socialismo coloca-se com mais força como alternativa ao capitalismo. São sinais de que a fase de defensiva estratégica vai chegando ao fim, dando início a uma nova era de ofensiva na luta dos povos.
O ano que se inicia é decisivo na preparação da grande batalha de 2010 quando serão novamente confrontados o caminho da continuidade do projeto de mudanças inaugurado com o Governo Lula e a possibilidade do retrocesso. Nosso Partido está chamado a jogar papel mais protagonista, buscando aumentar sua força nas próximas eleições, ocupando novos e maiores espaços.
2009 é o ano de preparação. De buscar fazer crescer nossas fileiras, organizá-las e capacitá-las para a grande e decisiva batalha de 2010. No Estado precisamos nos esforçar pelo êxito do Governo Ana Júlia e sua reeleição, retomar nosso espaço na Assembléia Legislativa e na Câmara Federal. O Comitê Municipal precisa contribuir para a montagem de uma chapa competitiva de candidatos a deputados estaduais e se habilitar a dar grande contribuição na sesta estadual de votos com seus candidatos. Ao mesmo tempo contribuir para a retomada da prefeitura pelas forças populares, e acumular forças para a reconquista da vaga na Câmara de Vereadores.
2009 é o ano do XIIº Congresso do Partido, de enfrentar o debate de idéias, de elaboração, organização e renovação.
A inauguração da aplicação da nova tática do Partido, nas eleições de 2008, trouxe novos desafios para o processo de construção partidária. Com a participação na chapa majoritária e o lançamento de mais de duas dezenas de candidatos a vereador ampliamos nossas relações sociais, lançamos dezenas de novas lideranças no cenário político municipal, tornando o Partido mais conhecido e considerado. Centenas de novos filiados adentraram a organização partidária e buscam um espaço para sua participação.
É preciso se adequar a essa nova realidade. Precisamos atender às expectativas das novas lideranças e novos filiados, capitalizar o trabalho desenvolvido trazendo para nossas fileiras, novas e expressivas lideranças que poderão encontrar no PCdoB uma organização capaz de atender seus ideais de participação política. Precisa acumular força e se preparar para novas batalhas.
A campanha eleitoral trouxe à tona nossas potencialidades, nossos pontos positivos e nossas debilidades. Apreender da rica experiência os ensinamentos e adequar nossas formas de organização e nossos métodos de direção e trabalho visando alçar o PCdoB a um novo patamar.

Enfim, apresentamos nosso Planejamento

PLANEJAMENTO

NOSSOS PROBLEMAS E DESAFIOS - DIAGNÓSTICO
Quais os problemas centrais que devem ser vencidos, para que o Partido se transforme numa legenda de porte médio, com maior protagonismo e reconhecida pela sociedade? Precisamos crescer e nos organizar; reocupar o espaço na Câmara de Vereadores; aumentar nossa intervenção nos movimentos sociais e na luta de idéias, fazendo com que o Partido e os espaços políticos em que atua, seja mais reconhecido pela população se transformando em referências da luta do povo pela transformação da sociedade.
Precisamos de uma direção mais ágil e funcional. Que responda de pronto as necessidades políticas, com condições políticas e materiais ao seu funcionamento.
Precisamos estruturar o Partido, com dezenas de OBs atuantes e uma rede de direções intermediarias que viabilizem o funcionamento permanente do tecido partidário.
Precisamos de investimentos pesados em formação e comunicação para capacitar nossos militantes e quadros e criar instrumentos de comunicação com a militância e a população – intensificar a luta de idéias em Belém; lutar pela democratização da mídia.
Considerando esses, os gargalos principais ao desenvolvimento do Partido em Belém, tomando por base as diretrizes nacionais e as definidas pelo Comitê Estadual para a atuação do PCdoB no Pará, no biênio 2009/2010, definimos as seguintes diretrizes municipais:
PRINCIPAIS DIRETRIZES MUNICIPAIS
1ª - Contribuir para a construção do projeto político estadual para 2010 sem perder de vista as eleições de 2012;
2ª - Reforçar nossa atuação nos movimentos sociais; participação destacada no FSM;
3ª Fortalecer a direção municipal e construir direções intermediárias e direções de base;
4ª - Realizar com ampla participação o XII Congresso Nacional do Partido; realizar a maior Conferencia Municipal da história do PCdoB na capital reunindo um mínimo de mil filiados na base;
5ª- Construir bases materiais para o trabalho da direção municipal;
6ª - Travar a luta de idéias interna e externa: desenvolver intenso processo de formação de quadros e militantes; constituir um sistema interno e externo de comunicação.

INTERFACES
A resolução dessas diretrizes tem ligação estreita com outras imposições:
1º - Ampliar as fileiras partidárias com novas filiações;
2º - Incorporar os novos filiados na estrutura organizativa;
3º - Desenvolver as diretrizes de forma integrada - a execução de cada diretriz tem interfase com as
demais.
integrada.

AÇÕES A SEREM DESENVOLVIDAS
Para a construção das diretrizes acima definidas precisamos desenvolver as seguintes ações:

1 - NO CAMPO POLÍTICO – preparar o Partido para as eleições 2010
A nova tática exige nova atitude, mais ousada, mais afirmativa, mais ofensiva, em todas as frentes. No plano político necessitamos vivenciar mais a política municipal já que o município de Belém é o espaço em que desenvolveremos nosso trabalho. Aprimorar o conhecimento da realidade sócio econômico municipal; elaborar propostas de políticas públicas para a cidade; divulgar mais o PCdoB e suas idéias, através de ações de envergadura em todos os campos de atividade, particularmente nas frentes de massa e definir um projeto político do PCdoB para Belém, são alguns dos desafios impostos pela realidade.
Ações a serem desenvolvidas:
1ª - Definir junto com o Comitê Estadual, os quadros que colocarão seus nomes à disposição para participar da chapa de deputados estaduais, e acompanhar o planejamento e desenvolvimento de suas respectivas campanhas, visando potencializar suas votações;
2ª - Buscar filiar lideranças políticas e populares no cenário municipal, que possam integrar a chapa estadual de deputados; ajudar a eleger nosso deputado federal;
3ª - Contribuir com o CE nas articulações com partidos de nosso campo de alianças para compor alianças que contribuam para a realização de nosso projeto eleitoral; rearticular o bloco de esquerda;
4ª - Acompanhar a atuação de nossos candidatos a vereador, visando fortalecer e ampliar sua liderança de massa.
5ª – Intervir na vida política do município, mobilizando o coletivo partidário e as frentes de massa, em cima de ações concretas e definidas pela realidade;
6ª - Organizar nossa atuação nos Conselhos de Políticas Públicas.

2 – SISTEMA DE DIREÇÃO – consolidar o Comitê Municipal e construir um
sistema de direção
Ações a serem desenvolvidas:
1ª – Buscar o funcionamento pleno da direção municipal. O Comitê Municipal e sua Comissão Política devem ser mais ágeis e profissionais em sua atuação. Realizar reuniões ampliadas da Comissão Política com membros do Comitê Municipal, visando envolver todos os dirigentes municipais no processo de elaboração, construção e ação política do Partido. Vencer a situação de falta de quorum nas reuniões e pouco engajamento de alguns dirigentes. As múltiplas secretarias, estão chamadas a planejar e retomar suas tarefas específicas em um nível mais elevado;
2ª - Construir um sistema de direção, com direções intermediarias e direções de Organizações de Base; elaborar e executar um plano de construção de bases para Belém: construir as bases de trabalhadores nas principais categorias, OBs nos principais bairros e integrar a juventude partidariamente; criar direções intermediárias no município, iniciando nos distritos do DAGUA, DAICO, DASAC e uma direção intermediária das bases de trabalhadores; realizar encontros de trabalhadores, de quadros e de juventude para debater as linhas de organização do Partido em cada área;
3ª – Ter criatividade no processo de estruturação do Partido; não se ater a modelos predeterminados; as formas de organização devem estar subordinadas à ação política e de massas a serem desenvolvidas;
4ª - Criar condições materiais para o funcionamento da direção;
5ª - Para atender as novas necessidades do momento, no processo de Conferencia, aprimorar a direção, articulando os aspectos de permanência com a renovação, mantendo o núcleo mais ativo e capaz e incorporando os quadros que se destacaram nas últimas batalhas.
6ª - Dar continuidade ao processo de ampliação do Partido através de campanha de filiação.

3 – INTENSIFICAR A INTERVENÇÃO NO MOVIMENTO SOCIAL
Intensificar nossa atuação no movimento social em todas as frentes de massa. Considerar que na atualidade o movimento social tem caráter mais abrangente: LGBT, deficientes, mídia livre, etc. Investir na reorganização da Coordenação dos Movimentos Sociais. Organizar e integrar nossa atuação visando potencializar o trabalho com uma linha unificada e com o funcionamento do Fórum de Secretários de Massa. Investir recursos humanos e materiais para construir uma militância ativa e quadros capacitados para o movimento social, que se tornem referências de massa do Partido para a sociedade. Entender que não é suficiente sermos os melhores. Precisamos ser os maiores, buscando a conquista da hegemonia em cada frente de atuação. A luta e a politização do movimento devem ser nosso referencial.
Ações a serem desenvolvidas:
Comunitários
1ª – Fazer mapeamento das entidades comunitárias de Belém, e em quais atuamos;
2ª – Elevar o nível de atuação dos(as) dirigentes partidários que atuam na frente comunitária;
3ª – Filiar novas lideranças comunitárias ao Partido;
4ª – Acompanhar o trabalho nas entidades dirigidas por militantes do Partido para que se tornem referências de luta no movimento social;
5ª – Empenhar esforços para a criação de Conselho de Entidade nos bairros, para unificar e dar mais densidade à luta;
6ª – Definir nossa participação na FEMECAM – fortalecer nossa corrente visando reconquistar a direção da FEMECAM.
Mulheres
1ª – Incentivar a criação de núcleos da UBM nos bairros e categorias;
2ª – Realizar curso de formação para as dirigentes da UBM municipal;
3ª – Fazer a UBM interagir com o movimento sindical, de juventude, comunitário e de negros;
Negros
1ª – Atuar no fórum de entidades negras e Conselho Municipal de Negros e Negras;
2ª – Criar núcleos da UNEGRO nos bairros;
3ª – Realizar cursos e Seminários de capacitação de nossa militância do movimento;
4ª – Buscar ampliar a relação da UNEGRO com os órgãos do governo.
Juventude
1ª – Consolidar a Direção Municipal da UJS;
2ª– Fortalecer nossa atuação no movimento estudantil secundarista e universitário; vencer o Congresso da UMES; acompanhar e fortalecer os Grêmios sobre influência da UJS; organizar e conquistar novos Grêmios e CAs;
3ª – Contribuir para a realização de um vitorioso Congresso da UNE;
4ª – Organizar e preparar a juventude comunista para sua participação no XII Congresso do Partido;
5ª – Construir núcleos da UJS nos bairros e categorias de trabalhadores;
6ª – Elevar o nível da militância comunista da UJS com a realização de cursos e seminários em particular sobre a compreensão acerca da relação Partido/juventude.
Sindical
1ª – Reorganizar a secretaria sindical;
2ª – Organizar a participação dos quadros e militantes trabalhadores(as) municipais na CTB;
3ª – Elaborar um plano de intervenção no movimento sindical de Belém, definindo categorias prioritárias de atuação, ações a serem desenvolvidas, metas, etc.
4ª – Integrar os filiados(as) e militantes trabalhadores(as) comunistas nas atividades sindicais de suas categorias.
5ª – Realizar curso de capacitação sindical para nossos(as) militantes.

4 – REALIZAR EXITOSA CONFERENCIA MUNICIPAL
Iniciar desde já o processo de construção da Conferencia Municipal ao XII Congresso Nacional; elaborar plano de realização da Conferencia até meados de março.
Como o Comitê Central e o Estadual ainda não definiram nem a temática nem as normas do Congresso, cabe-nos o trabalho de organização das bases partidárias nos preparando para sua realização. As tarefas de construção partidária se confundem com as preparatórias da Conferência. Quanto mais organizado e mobilizado estiver o Partido, melhor e maior a Conferência.
Ações a serem desenvolvidas:
1ª– consolidar o trabalho de direção e capacitá-la para os desafios da Conferência;
2ª– avançar na estruturação partidária colocando as OBs para funcionar e construindo as direções intermediárias, para que possamos realizar Assembléias de Base massivas no maior número de OBs.;
3ª– desenvolver campanha de formação das bases, preparando-as para os debates do Congresso;
4ª– definir meta inicial de mobilização, em torno de mil participantes na base, e a organização de OBs nos principais bairros de Belém e nas principais categorias de trabalhadores.
5ª– regularizar o maior número possível de quadros e militantes com a Carteira Nacional de Militantes.

5 – FINANÇAS – construir bases matérias para o trabalho da direção municipal
Sem um mínimo de condições materiais, não será possível à realização plena das diretrizes definidas pela direção municipal. Esta, portanto, passa a ser uma tarefa decisiva para a concretização de nossas resoluções. Encontrar os caminhos e as medidas de curto e médio prazo para a construção de bases materiais de trabalho, ganha centralidade.
Ações a serem desenvolvidas:
1ª– aumentar o número de contribuintes pelo sistema de contribuição militante; nenhum dirigente sem carteira militante; levantamento de nomes e aplicação em larga escala do cadastro para contribuintes;
2ª– realizar atividades especiais de finanças; realizar quatro atividades especiais até o final do ano, sendo o primeiro no início de abril, visando levantar recursos;
3ª– Construir uma lista de contribuintes especiais com contribuições mensais capazes de darem sustentação básica para a direção;
4ª– Legalizar a situação contábil do Partido no município;
5ª– Realização de projetos sociais como forma de criar condições materiais para o trabalho de massa.

6 – TRAVAR A LUTA DE IDÉIAS INTERNA E EXTERNA – desenvolver intenso processo de formação de quadros e militantes; constituir um sistema de comunicação
Desenvolver a luta de idéias interna e externa, com um poderoso movimento de formação de quadros e militantes do Partido, visando capacitá-los para enfrentar as batalhas definidas pelas cinco diretrizes anteriores, e a constituição de um sistema de comunicação interna, levando informações ao conjunto da militância, e externa, divulgando nossas idéias e opiniões para a sociedade.
Ações a serem desenvolvidas:
1ª– organizar as Comissões de Formação e Comunicação;
2ª– realizar Encontro e Curso com os(as) formadores(as) selecionados(as), preparando-os para a campanha de formação de militantes;
3ª– massivo trabalho de formação de bases, com a realização no primeiro semestre, de 30 Cursos Básicos de Vídeo, atingindo 500 filiados(as), e um curso de nível 1 para os quadros recém chegados ao Partido; realização no segundo semestre de mais 4 CBVs e de 4 cursos de nível 1, com meta de formar 200 militantes;
4ª– participação de um maior número possível de quadros do municipal no curso regional norte, de nível 2, a ser realizado pelo Comitê Estadual.
5ª– constituir uma rede de colunistas para o portal vermelho e o Partido Vivo;
6ª– Organizar a distribuição do jornal “A Classe Operária” e editar o boletim informativo do Comitê Municipal;
7ª– participar do processo de Conferência Nacional de Comunicação;
8ª– contribuir para a construção do “Fórum da Mídia Livre” .

INDICADORES
Para avaliar o desenvolvimento e aplicação das diretrizes, utilizaremos os seguinte indicadores:
1º - número de participantes mobilizados na marcha do FSM e em suas principais atividades;
2º - numero de candidatos(as) de Belém, que o Partido apresentou para compor a chapa estadual; votação dos candidatos(as) de Belém; quantidade de votos conseguidos em Belém, para estadual e federal;
3º - número de novos filiados(as) e de novas lideranças filiadas;
4º - número e magnitude de lutas sociais que dirigimos e/ou participamos; numero de entidades que dirigimos e participamos; quantidade de dirigentes de massa do Partido; numero de cursos de formação de lideranças e números de participantes;
5º - Número de reuniões da CPM e do pleno do CM; nº de dirigentes que desenvolveram efetivo papel de direção; políticas elaboradas; nº e qualidade de direções intermediárias criadas; nº de OBs em funcionamento;
6º - Número de cursos CBV e de nível 1 desenvolvidos; número de participantes e grau de aproveitamento;
7º - Número de reunidos(as) na Conferência Municipal; número de bases reunidas e de delegados eleitos; nível do debate realizado;
8º - Número de contribuintes e detentores da Carteira Nacional de Militantes; número de atividades de finanças realizadas e de recursos levantados; 9º - Em todos os indicadores levar em consideração a qualidade do trabalho desenvolvido.
Observação: O planejamento detalhado de cada uma das diretrizes acompanha documentos anexos
Belém, 28 de março de 2009.
Comitê Municipal
PCdoB – Belém - Pará

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Militantes do PSOL perdem eleição no SINTPREVS, mas não querem largar a “boquinha”.

Militantes do PSOL perdem eleição no SINTPREVS, mas não querem largar a “boquinha”.



Em processo eleitoral que rola desde novembro de 2008, no final de fevereiro ocorreu eleição no Sindicato dos Trabalhadores na Saúde e Previdência Social e concorrerem duas chapas. A situação formada por militantes do PSOL/APS, no poder há cerca de 20 anos e buscando se perpetuar no poder na marra e na maracutaia e a chapa de oposição, formada por novas lideranças que não aceitavam a manutenção do sindicato a serviço daquele partido e de seus diretores, bancando despesas de farras de telefone celular liberado, uso de taxis para atividades pessoais e muitas idas nos botecos da vida por conta do SINTPREVS.



Em novembro passado a chapa da situação perde o prazo de inscrição de chapa, que “elles” mesmo fixaram e melam o processo. Em janeiro2009 é recomeçado e marcam a eleição para o dia da Marcha do FSM 2009, na esperança de que apoio e presença de Heloisa Helena e Cia pudesse reverter a derrota certa. Mesmo assim perdem a eleição que, porém alcança o quorum regimental e teve de ser remarcada para 18 e 19 de fevereiro.



A oposição defendia em seu programa um sindicato a serviço da luta dos servidores e passar o sindicato a limpo, com uma auditoria nas contas da entidade. Foi isso que levou os diretores Maués & Cia a se apavorarem e pedirem socorro aos caciques do PSOL/APS.



E, para lá foi o senhor Eloi Borges fazer o serviço sujo, contrariando a vontade dos trabalhadores e para manter a entidade sem auditoria e sem mudança na direção, já que os pelegos estavam acostumados ao poder e imaginavam que o cargo fosse vitalício, isto explica o desespero e trapaça, mas nada adiantou, o trabalhador foi lá, e deu o seu recado votando na mudança e derrotando os pelegos do PSOL/APS e elegendo majoritariamente a chapa de oposição.



O senhor Eloi Borges, candidato derrotado pelo PSOL/APS nas últimas eleições e dirigente do SINTEPP, mesmo que informalmente afirmasse que os integrantes da chapa da situação estivessem errados em querer impor à chapa vitoriosa o controle da entidade pela chapa derrotada, mas Eloi que se também se mostrava disposto a fazer acordos para aceitar o resultado da eleição ele dizia “esse pessoal nosso no Sintprevs é ruim e difícil de tratar”. Mas, mesmo assim, reconhecendo que a turma do PSOL/APS na direção do sindicato era “ruim” não teve escrúpulo em realizar o autoritarismo, desonestidade e roubalheira que tanto dizem combater.



A fraude foi de todo tipo, desde voto de mesário por eleitor que estava viajando, com a desculpa de que o mesário sabia qual era a opção do eleitor ausente. Teve também falsificação de assinatura de eleitor para “emprenhar” urnas que deveriam conter apenas o voto do trabalhador e teve até eleição fantasma no interior do estado e votação realizada após encerrado o prazo eleitoral e com o resultado das demais urnas apurados e divulgados, para impedir a vitória da oposição. Foi um vale tudo típica de coronel de gangaço realizada às vistas e sob o comando do triste senhor Eloi Borges.



No dia final da apuração alertamos ao senhor Eloi de que ele estava rasgando sua história de dirigente sindical e de ética ao aceitar ser utilizado para manipular uma eleição onde seu grupo político foi derrotado. Porém, como tudo na vida, isso teve seu lado positivo. Deixou cair a máscara do PSOL, da APS e do Eloi Borges. E o que é pior ... não vai adiantar tanta força bruta, tanta roubalheira e desespero. Temos certeza que o golpe será revertido na justiça e, enfim os trabalhadores poderão ver triunfar a seriedade e sua vontade. E assim a categoria poderá ter de volta seu sindicato atuando de forma democrática e cristalina. E, com a auditoria realizada veremos o tamanho do “rombo” praticado nas contas da entidade, os responsáveis pela “farra” com o dinheiro dos trabalhadores.



Dessa forma poderemos separar o joio do trigo, realizando a punição dos bandidos sindicais e , para salvaguardar e garantir o direito do trabalhador a chapa 2 - É PRA MUDAR, interpôs AÇÃO CAUTELAR INOMINADA contra o resultado forjado e imposto contra a vontade do trabalhador, pelos “DITADORES” fantasiados de democratas.



A LUTA AINDA NÃO ACABOU! A JUSTIÇA CONFIRMARÁ A VITÓRIA DO TRABALHADOR!



Atenciosamente,





José Marcos de Lima Araujo

Presidente da CTB PA

Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – Pará)

Você corta um verso, eu escrevo outro.....

È incrível como ainda hoje nos deparamos com mentes atrasadas, que abrem a boca apenas para falar asneiras sem ter o devido conhecimento do fato. Digo isso porque presenciei um fato deprimente, daqueles que nem temos força de revidar tamanha a ignorância do ocorrido. E o pior é que foi cometido por um cidadão que se diz conhecedor da nossa historia, que é um formador de opinião e que estava no exercício da sua profissão, estava em uma sala de aula cheia de alunos. Mas do que falo mesmo? Falo do infeliz comentário de um Sr. professor, que em meio a um debate em sala sobre um dos períodos mais sangrentos e violentos da historia brasileira que foi a ditadura militar, mais precisamente sobre A GUERRILHA DO ARAGUAIA, disse que esta não passou de um movimento GROTESCO, que não TINHA NADA DE HEROICO e que não acrescentou em NADA na nossa historia. Ora camaradas é claro que o “professor” não conhece bulhufas do que diz, é um ignorante no assunto, mas deveria então pensar antes de falar!
Caro professor, se o senhor não sabe, o movimento guerrilheiro no Sul do Pará teve dimensões e proporções enormes, pois representou a mais alta resistência a ditadura militar, resistência que durou ativamente longo três anos. A guerrilha foi à grande forma de organização política e armada no Brasil, foi efetiva no sentido de enfraquecer o regime militar, como também fundamentalmente foi a grande sementeira da organização camponesa na luta pela terra e contra o latifúndio, luta esta que vem sendo travada por gerações e que teve e tem em lideres como Expedito Ribeiro de Souza, João Canuto, João Batista e Paulo Fonteles entre outros grandes exemplos.
Organizado pelo Partido Comunista do Brasil, a guerrilha representou a luta do seu povo pela libertação, contou com o amplo apoio da massa dos camponeses, fato este desvendado por Paulo Fonteles na caravana de familiares que liderou e relatado em suas denuncias no jornal Tribuna Operaria entre os anos de 1980 e 1981.
Mas, como tudo tem um lado positivo, o ocorrido trouxe a tona uma discussão que não deve nunca silenciar, que é a necessidade do avanço do processo histórico brasileiro, portanto sem fazer juízo de valores, temos de conhecer a nossa historia, porque ela não está somente nos livros e nos registros oficiais, ela está para ser redescoberta, recontada e reconstruída, é este o grande objetivo de nossa geração.
No mais só temos de agradecer e reverenciar aqueles que em tempos difíceis e em meios as torturas e repressão lutaram para tornar nossa vida um pouco mais fácil e democrática. Como disse Max na primeira frase do Manifesto; Um espectro ronda o espectro do comunismo.
Então parabéns e muita luta para o Partido Comunista do Brasil!

Pedro Fonteles
miltante da UJS e do PCdoB

Presidente do C.A de História da FIBRA

quarta-feira, 6 de maio de 2009

O PRESIDENTE DO IRÃ

por Laerte Braga

Com 110 pessoas em sua comitiva chega ao Brasil na quarta-feira o presidente do Irã Mahmoud Ahmadinejad. Vem a convite do governo do presidente Lula. A visita de Ahmadinejad desagrada a norte-americanos e a israelenses. O governo de Israel convocou o embaixador brasileiro para “explicar” o que isso significa.

Há anos atrás, poucos meses antes do golpe de 1964, o ministro Celso Furtado foi a Moscou negociar acordos comerciais com o governo da antiga União Soviética. O embaixador dos Estados Unidos na URSS deu uma bronca pública no brasileiro, alegando, entre outras coisas, que “você não tem nada o que fazer aqui”.

Furtado reagiu e assinou os acordos comerciais. Poucos meses depois os militares brasileiros e sua estranha vocação nacionalista para entregar o País derrubaram o governo de Goulart.

Permaneceram vinte anos no poder cometendo toda a sorte de abusos, corrupção e barbárie possíveis e não deram ao Brasil uma cara brasileira. O tal nacionalismo e a democracia deles foi a transformação do País em sub produto do imperialismo norte-americano. E são nacionalistas. Imagine se não fossem.

A revolução islâmica deu ao Irã a perspectiva de encontrar-se como país soberano, senhor de seu destino e não cabe julgar valores intrínsecos do islamismo, nem extrínsecos, do contrário se dá o direito de julgar o estranho prazer de norte-americanos por armas de fogo como distração e lazer no final de semana. E nos dias de semana um monte de corpos estendidos nas escolas em vários cantos do país.

No Brasil os militares, militares é bom não se esquecer, venderam a idéia de transformar o país numa potência sob todos os aspectos, nas se resignaram e assinaram todos os acordos propostos pelos EUA. Ou impostos. Depende da ótica de quem vê. O golpe foi fomentado, organizado e patrocinado pelos donos do mundo.

O Oriente Médio historicamente tem sido de suma importância para potências imperialistas. A Grã Bretanha, a França e agora os Estados Unidos. As constantes intervenções militares na região têm um único objetivo. Eliminar governos “inimigos” e controlar o petróleo.

O fim da Segunda Grande Guerra trouxe um ingrediente novo. O estado terrorista de Israel. De principal base militar do imperialismo norte-americano transformou-se em importante fator de decisão dos destinos dos Estados Unidos. Grupos sionistas constituem-se em lobbies de tal força que detêm o controle das políticas chaves no governo de Washington.

As intervenções norte-americanas no Irã começam em 1941 quando os aliados forçaram o xá a abdicar em favor de seu filho Mohammad Reza Pahlavi, no pressuposto que esse lhes seria mais favorável. E foi. Em 1953 a intervenção foi descarada e aberta quando o xá desentendeu-se com Mohammed Mossadegh, primeiro-ministro, que havia nacionalizado o petróleo no país. A Anglo-American Oil Company. Mossadegh foi deposto, o petróleo continuou com ingleses e norte-americanos e o regime de Reza Pahlavi transformou-se numa ditadura escancarada. Era dissimulada. Esse era o propósito real dos que o sustentavam.

Na ótica ocidental o xá modernizava o país. Na visão dos iranianos o xá entregava o país e esmagava religiosos e defensores da democracia. O conceito capitalista de modernizar é o de predação.

A revolução islâmica de Khomeyni trouxe o estado islâmico, mas o direito do povo escolher seus governantes. Foi-se o petróleo de norte-americanos e ingleses. A riqueza nacional passou a pertencer ao povo do Irã.

Desde o primeiro momento norte-americanos insuflaram a ditadura de Saddam Hussein, aliado de Washington à época. A guerra montada e financiada pelos norte-americanos contra o Irã custou milhões de vidas a iraquianos e iranianos. Foi ali que Saddam usou armas químicas e biológicas contra iranianos e fornecidas por seus aliados, os EUA.

Quando achou que poderia voar por conta própria teve as asas cortadas. As mesmas armas químicas e biológicas que já não existiam mais foram o pretexto para a invasão do Iraque no governo terrorista de George Bush.

Saddam, confiando nos EUA, tentou desenvolver um programa nuclear em seu país e as usinas foram bombardeadas por aviões de Israel.

O Irã é uma potência regional. Está situado estrategicamente no centro dos interesses dos norte-americanos e o programa nuclear desenvolvido pelo governo islâmico pode vir a ser o fator de desequilíbrio no Oriente Médio, onde até então Israel tem sido o braço terrorista dos EUA. As políticas de “salvação da democracia” cabem aos norte-americanos. Ou invadem e ocupam, ou compram governos (Arábia Saudita, Jordânia, Egito, Emirados Árabes, etc). O serviço sujo, o terrorismo fica para Israel (tem “tecnologia” de matar dois com um tiro).

A América Latina e particularmente a América do Sul vive um momento de extrema importância em sua história. Começa a perceber-se como bloco de grande força. Governos eleitos pelo voto popular como o do presidente Chávez na Venezuela, Morales na Bolívia, Corrêa no Equador, Lugo no Paraguai, Ortega na Nicarágua e agora El Salvador, transformam-se em pesadelos para os norte-americanos.

Já não é possível mais gritar “você não tem nada o que fazer aqui”.

O presidente Lula encarregou o embaixador Celso Amorim de dirigir e comandar a política externa brasileira. Um notável diplomata e desde a deposição de João Goulart é a primeira vez que o Brasil assume sua cara, suas feições e coloca-se como país soberano. As limitações decorrentes da política econômica de Lula têm sido sabiamente contornadas pelo chanceler Amorim. Os arroubos “modernistas” do PT em busca de cargos e outras coisas mais, da mesma forma, não impediram que o Brasil se transformasse num dos protagonistas principais no mundo de hoje.

O Brasil não tem que explicar nada a Israel sobre a visita do presidente do Irã. A constituição do Irã garante liberdade religiosa a judeus e cristãos. Muçulmanos são tratados como animais no estado terrorista de Israel.

Os EUA são hoje um império em franco declínio. Não significa que estejam batidos ou vencidos em suas políticas escravagistas mundo afora. Em termos de história o declínio de um império não é como um tombo de uma ex-BBB que vira manchete nacional na política de informação e comunicação para Homer Simpson.

A economia do país do negro de olhos azuis já não tem mais a força que tinha e o poder dos ianques está na força militar. A mesma que segundo a revista ÉPOCA – grupo GLOBO – mostra que soldados mulheres dos EUA são vítimas de assédio e estupro por parte de companheiros de farda quando no serviço militar no exterior. Típico de militares norte-americanos e israelenses.

As críticas corretas e precisas ao governo Lula não obscurecem a política externa desenvolvido pelo ministro Celso Amorim. Se na ótica do modelo político e econômico vigente Lula não mudou coisa alguma, mas conseguiu um assento de destaque junto ao resto do mundo, isso se deve menos à economia e mais ao trabalho de Amorim. Mata um leão por dia levando em conta os setores desvairados do governo e principalmente do partido do presidente e dos aliados. Foi a opção de Lula, um capitalismo brasileiro. Ou o neoliberalismo populista.

A visita de Mahmoud Ahmadinejad consolida a posição do Brasil no que chamam concerto das nações.

Se o alinhamento do Brasil não é absoluto com as posturas do Irã, reforça a posição de países como a Venezuela, a Bolívia, a Nicarágua, o Equador que hoje, ao lado da Rússia somam-se no apoio às pretensões iranianas em seu programa nuclear e na construção da nação islâmica democrática.

É uma nova realidade surgindo diante de um modelo estraçalhado pela sua própria gênese de barbárie. É uma luta que vem sendo travada e enormes são os obstáculos. Imensa é a força dos adversários, os donos dos arsenais nucleares.

Não existe atraso e nem volta a tempos medievais no Irã. Existe um novo Irã sendo moldado segundo a vontade de seu povo. Há quem acredite que hambúrguer seja símbolo de modernidade e cultue o semi deus McDonalds. O deus é o mercado.

Com todos os erros que possa ter cometido o presidente Mahmoud Ahmadinejad é a cara desse novo Irã. E certamente Lula haverá de compreender que é preciso avançar mais ainda e dar ao Brasil uma feição que até hoje não fomos capazes de dar. Mas que hoje se mostra possível, factível.

É lógico que os meios de comunicação – braços dos EUA, dos latifundiários, dos grandes empresários/sonegadores, banqueiros – vão tratar o iraniano como ameaça, vão dar destaque aos protestos de governos terroristas como o de Israel e falar das “preocupações” de Obama. Tentam vender esse bicho papão que William Bonner – a face mais visível desse modo mentiroso de ser – chama de Homer Simpson. São pagos para isso e como toda e qualquer elite econômica não têm pátria e nem escrúpulos. Têm interesses.

Mahmoud Ahmadinejad é um dos líderes desse novo mundo que começa a surgir. É natural que venha ao Brasil. Parte desse mundo. É um engano achar que o presidente do Irã vem tentar tirar uma lasquinha no prestígio internacional de Lula. Vem não. Entre os povos árabes Mahmoud Ahmadinejad é um “Lula” bem maior.

Por que o mercado derrubou dona Leitão

Por Ricardo Berzoini

A colunista econômica Mirian Leitão escreveu um artigo, após a mudança de comando no Banco do Brasil, intitulado "Por que a demissão derruba as ações do BB". Conhecida defensora das teses neoliberais que arruinaram o Brasil sob FHC, dona Leitão não se conformava com o exercício, pelo acionista majoritário, do direito de mudar a presidência da empresa. Para dona Leitão, o BB é do "mercado" e os minoritários (que ninguém consultou para saber se seriam contrários à mudança) devem mandar no majoritário.

Curioso é lembrar que, nos casos Encol e Maxblue, não vimos dona Leitão criticar os tucanos (à época legitimamente exercendo o papel de acionista majoritário) pela gestão temerária.


Disse dona Leitão em seu texto: "O Banco do Brasil é empresa de capital aberto. O governo não é o dono, é o maior acionista. Por isso, a demissão assusta e derruba as cotações. O spread bancário é um problema grave, mas o presidente da República não pode administrar um banco de economia mista. É um disparate. Nenhuma intenção de defender o presidente do Banco do Brasil que foi demitido, apenas é preciso entender como a economia funciona: se o BB tem acionistas privados, ele tem que operar com as regras do mercado, buscando lucro e competindo com os outros bancos. Se ele vai ser administrado pelo presidente da República ou pela chefe da Casa Civil, então não pode ter ações no mercado. Ou uma coisa ou outra."

De fato, o governo não é o dono do BB, mas o Estado brasileiro é o acionista amplamente majoritário. Quem compra ações do BB sabe disso, sabe inclusive que é um banco que não quebra. O acionista do BB não corre o risco que atingiu os cotistas do Banco Nacional, do Bamerindus, do Econômico ou do Lehman Brothers. Ele deve sim, óbvio, dar lucro. Mas quem disse que deve dar uma rentabilidade de 30% ao ano? Onde está escrito isso?

Recentemente, o presidente da Petrobrás (não é Petrobrax, como queriam os amigos de dona Leitão), Sérgio Gabrieli, foi incluído entre os finalistas do Premio Platts de Energia, na categoria "CEO do Ano" (executivo-chefe do ano). Gabrieli é filiado ao PT e reconhecido mundialmente como um dos melhores gestores do setor. A Petrobrás é uma das ações mais valorizadas dos últimos seis anos.

Não há contradição em ser uma empresa estatal e ter ações na bolsa. E não há problema quando o acionista majoritário anuncia que tem diretrizes para a empresa que não se restringem à busca de remuneração para os acionistas. Quem compra ações sabe que em qualquer empresa o majoritário manda, no que não contrarias as leis e o estatuto da companhia.

Dona Leitão também sabe disso. Mas é preciso criticar o governo Lula. E defender o neoliberalismo.


O problema é que dona Leitão não entende nem mesmo de mercado. Depois de anunciada a mudança no BB, dia 8 de abril, as ações do banco, de fato, caíram 8,15 % no primeiro dia, e 2,8% no segundo. Hoje, no momento em que escrevo esse artigo, as ações estão praticamente no mesmo valor que tinham no dia 7 de abril. Alguns especuladores devem ter vendido ações no dia 8, prevendo já os artigos iluminados dos neoliberais. Talvez tenham recomprado dias depois, embolsado um lucrinho. Talvez vendam na semana que vem e comprem daqui a um mês. Assim é o mercado.


Mas não pensem que dona Leitão fará autocrítica. Ela prosseguirá dizendo que é preciso cortar os gastos, que o Estado é um mal e que só o mercado salvará a humanidade. Nós, do PT, nunca negamos que o mercado deve ser fortalecido. Em 2002, debatemos com o grupo de diretrizes do mercado de capitais, na BOVESPA, as medidas que o governo Lula tomaria para fortalecer as regras e o funcionamento do mercado acionário e de títulos. Nós entendemos de mercado. E sabemos que as flutuações momentâneas só enganam os tolos. E alimentam os discursos dos "espertos".

Mas nós, do PT, sempre dissemos o que agora parece claro, até para alguns liberais. Sem um poder público forte, democrático e transparente, que regule e supervisione o mercado e atue em certas áreas diretamente, a conta vai para o povo, que sofre as consequências da esperteza alheia.


Sérgio Porto (Stanislaw Ponte Preta) era funcionário do BB. Grande escriba, produziu o FEBEAPA, coletânea de crônicas sobre o Festival de Besteira que Assola o País. Se estivesse vivo, poderia escrever o FEBEACON (Festival de Besteira que Assola os Colunistas Neoliberais).


Ricardo Berzoini é presidente nacional do PT, deputado federal por SP e funcionário do Banco do Brasil desde 12/07/1978.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

AVANÇANDO NA ORGANIZAÇÃO DO PARTIDO

AVANÇANDO NA ORGANIZAÇÃO DO PARTIDO

Dando prosseguimento ao projeto de estruturação do Partido em Belém, ocorreram esta semana três importantes acontecimentos sob a coordenação e acompanhamento da Comissão de Organização do Comitê Municipal da capital.
Dia 29, último, foi realizada a assembléia dos filiados do partido na UFPA, que elegeu sua direção provisória. A nova direção programa reunião para traçar o planejamento do trabalho partidário na Universidade Federal.
No mesmo dia 29, foi formada a direção provisória do Comitê Distrital de Icoarací. Como primeiras atividades ficou marcada a realização de curso básico de vídeo, dia 02 de maio no Liceu de Artes e Ofícios de Icoarací, e a realização de duas palestras sobre a Lei Maria da Penha, com vistas a constituir o núcleo local da União Brasileira de Mulheres.
Dia 1º de maio em plenária de filiados e militantes do Partido no Mosqueiro, foi eleita a Direção Provisória do Comitê Distrital do PCdoB em Mosqueiro. A direção provisória marcou sua primeira reunião de planejamento para dia 16 e a realização de um curso de formação para o dia 23 de maio.
Estão em fase de organização o Comitê Distrital do DAGUA, DASAC e DABEN e o Encontro dos Trabalhadores Comunistas que debaterá a necessidade de organização partidária dos trabalhadores comunistas e a criação de uma Direção Intermediária para acompanhar o trabalho.

Neco Panzera
Sec. de Organização do PCdoB Belém e membro da Comissão Política Estadual

quarta-feira, 29 de abril de 2009

festa de recepção aos novos e novas camaradas 2009

video

Festa de recepção aos novos filiados e filiadas ao PCdoB

No dia 13 de março aconteceu a festa de recepção aos novos filiados e filiadas ao PCdoB. Sob responsabilidade do Diretório Municipal, a festa teve um caráter metropolitano, com a presença de muitos municípios além de Belém.

Os festejos se deram na sede social da AABB (Associação Atlética do Banco do Brasil). Muitas atrações, como Alexandre Souza (intérprete de Chico Buarque), nosso camarada Ijo e a Banda Retrô.

Entre muitas novas filiações, podemos celebrar a vinda de Maria Aparecida (Cida), militante histórica da esquerda paraense e ex-Secretária de Estado de Administração do Governo Ana Júlia, Paulo Maia e Hildo, ex-militantes do PSB e conhecidos companheiros das trincheiras dos movimentos sociais em nossa cidade.

Maíra Nogueira (Presidente Municipal da UJS) e Alan Frick (Secretário de Comunicação) fizeram todo o cerimonial.

Nosso ex-presidente municipal e atual Sec. Estadual de Organização e Sub- Chefe da Casa Civil do Estado do Pará, Jorge Panzera, fez a saudação inicial. Em suas palavras deixou clara a vontade do PCdoB em abrir suas fileiras para as pessoas de bem que queiram espaço para mudar o Brasil.

Logo depois falou Pedro Fonteles, que afirmou estar honrado em poder militar no mesmo partido pelo qual seu pai tombou lutando contra o latifúndio. Com uma intervenção brilhante, arrancou lágrimas de sua mãe Raquel, viúva de Paulo e aplausos entusiasmados de todos e todas presentes.

Em seguida Antônia Botelho, ex-vice prefeita e Secretária Municipal de Abaetetuba. Ela, que falou representando um conjunto de mais de duas centenas de militantes que vieram há poucos meses do PSB, disse da alegria em estar filiada ao PCdoB, na luta por uma sociedade justa e igualitária.

Quem fechou a sessão de discursos foi o presidente estadual do PCdoB, Neuton Miranda, lembrando que para crescer, o PCdoB terá de ousar no próximo período, conquistando mais lideranças de todo o estado para o fortalecimento de nosso projeto eleitoral e maior protagonismo nas lutas do movimento social organizado. Em seguida a Banda Retrô animou o final de festa que foi regado a muita cerveja, música e boas risadas.



terça-feira, 28 de abril de 2009

Povo equatoriano consagra Rafael Correa e a Aliança País

Além de reeleger o presidente no primeiro turno, movimento patriótico fez a ampla maioria dos governos estaduais e municipais, e elegeu as maiores bancadas do Congresso Nacional, das Assembléias e Câmaras Legislativas.


Por Leonardo Wexell Severo, enviado do Hora do Povo a Quito

O povo equatoriano ratificou domingo (26) seu crescente apoio ao processo de transformações encabeçado pelo presidente Rafael Correa e seu Movimento Aliança País. Além de reeleger Correa no primeiro turno – fato que ocorre pela primeira vez em duas décadas -, com cerca de 52% dos votos, contra 28% do segundo colocado, os eleitores deram ao movimento patriótico a ampla maioria dos governos estaduais e municipais, e garantiram as maiores bancadas parlamentares no Congresso Nacional (unicameral), nas Assembléias e Câmaras Legislativas.

Entre as principais conquistas da “Revolução Cidadã” destacam-se a aprovação da Nova Constituição, em 28 de setembro do ano passado - com o fortalecimento do papel do Estado, da soberania nacional e do controle social sobre os setores estratégicos da economia -; a ampliação dos investimentos públicos na saúde, educação, moradia e obras de infraestrutura; a eliminação da terceirização e da intermediação de mão-de-obra e a reorientação da política externa, com a promoção da integração regional - através de organismos como a Unasul -, a suspensão do pagamento dos juros da dívida “ilegal e ilegítima” e a retomada, ainda neste ano, da base naval de Manta, hoje ocupada por tropas estadunidenses. Além disso, o governo decidiu realizar duas auditorias fundamentais para o pleno desenvolvimento da economia e da democracia, passando a limpo a partir de uma análise criteriosa a dívida externa - multiplicada pelos governos anteriores - e as concessões públicas de rádio e televisão, ambas comprovadamente contaminadas pela corrupção.

“Esta revolução está em marcha e nada nem ninguém a detém. Hoje renovamos o nosso compromisso com os mais pobres. Não somos excludentes, mas nosso governo tem uma opção preferencial, para que a Pátria seja, efetivamente, de todos”, afirmou Rafael Correa, logo após a divulgação da primeira pesquisa de boca de urna, que já apontava a vitória por ampla margem. “Precisamos, portanto, fazer com que este imenso capital político se transforme em organização”, enfatizou, pois “a luta é entre o povo e os que seqüestraram, venderam e traíram a Pátria”.

Desde o final da tarde de domingo, milhares de simpatizantes começaram a chegar até a sede da Aliança País, em frente à Tribuna do Parque Carolina, em Quito, para comemorar ao lado de seu presidente a acachapante derrota imposta à campanha midiático-banqueirista e ao imperialismo norte-americano.

Mídia

Para que o leitor tenha uma idéia do monopólio midiático entrincheirado na oposição a Correa, vale lembrar que, na televisão aberta, 19 famílias ainda controlam 298 das 348 frequências existentes. “Há uma relação incestuosa entre os bancos e os meios de comunicação, especialmente na televisão, onde um dos grandes acionistas do Banco de Pichincha, o maior do país, é proprietário da cadeia Teleamazonas, que detém 43 concessões a nível nacional, além de possuir as revistas Gestión e Diners”, informou o jornalista Eduardo Tamayo, do Fórum Equatoriano de Comunicação.

Um dos compromissos da Aliança País, inscrita na nova Constituição, é precisamente o impedimento à formação de “oligopólio ou monopólio, direto ou indireto, da propriedade dos meios de comunicação e do uso das freqüências”, com expressa proibição às entidades ou grupos financeiros, seus representantes legais, membros da diretoria e acionistas de controlar seu investimento ou patrimônio. Além disso, se estabeleceu um prazo de dois anos para que o setor financeiro se desfaça das ações que possui nos meios de comunicação. Ao mesmo tempo, se incentiva que na sociedade equatoriana se expressem aqueles que nunca tiveram voz, com o governo fomentando a criação de meios de comunicação públicos e comunitários, os quais são colocados, constitucionalmente, em igualdade de condições com os meios privados.

Evidentemente contrários à boa nova - que ainda está sendo gestada -, os donos das grandes redes de rádio e televisão entraram de corpo e alma na campanha. Mesmo nesta segunda-feira, quando ficou claro que deram novamente com os burros n`água, as emissoras privadas deram destaque especial a oposicionistas e à cantilena do “país dividido”, com “conselhos” e “alertas” ao presidente, a quem acusam de “prepotente”e “arrogante”.

Comemoração

“Minhas primeiras palavras são de agradecimento ao povo equatoriano e as segundas são para ratificar o compromisso com esta revolução. Diziam que uma vez presidente eu me acalmaria, mas nós estamos aprofundando o processo. Fiquem tranqüilos pois a cada dia que passa vamos avançar mais, não haverá volta atrás. Somos e seremos mais radicais do que nunca na luta pela justiça social”, sublinhou o presidente, dirigindo-se à multidão que se assomava à sede do Aliança País.

Com o gigantesco respaldo popular vindo das urnas, lembrou Correa, “derrotamos mais uma vez a tentativa de linchamento midiático contra o nosso governo, levada a cabo por uma imprensa mafiosa, que quer ver crucificados os ladrões de galinha, muitos deles empurrados pela fome, enquanto dá sustentação imoral a banqueiros corruptos. Agora, após vencermos já no primeiro turno, dizem que o país está divido. A verdade é que estamos mais unidos do que nunca”.

Rafael Correa ressaltou que “o triunfo não teria sido possível sem o trabalho de milhões de almas, corações e mãos que lutam por esta revolução”, o que nos faz, “reafirmar que é preferível morrer do que perder a vida traindo os princípios e compromissos firmados”.

“Alerta, alerta que caminha, a espada de Bolívar pela América Latina”, respondeu a multidão, fazendo tremular bandeiras de Correa ao lado de cartazes de Bolívar, do herói nacional Eloy Alfaro e de Che Guevara.

Agradecendo a manifestação de carinho, Rafael pediu a todos que se recordassem dos três milhões de equatorianos que vivem no exterior, “expulsos da sua terra pela pobreza, pela discriminação, pela injustiça da falta de oportunidades” e agradeceu aos jovens que votaram pela primeira vez e aos estrangeiros residentes, que tiveram reconhecido o direito ao voto, da mesma forma que os policiais e militares.

“Tínhamos sete candidatos contra o presidente Correa, atacando o governo e as conquistas da revolução. E, do lado deles, a Imprensa corrupta, comprometida com os setores econômicos e políticos oligárquicos, inventando, caluniando e mentindo. Ao mesmo tempo, essa mídia fala em liberdade de expressão. E quanto aos cidadãos, quem os defende das mentiras desta mídia?”, questionou o presidente, sob aplausos.

Rafael enfatizou que o momento é de avanço, de ruptura com os anos de atraso e subserviência ao capital estrangeiro e ao sistema financeiro, de traidores que se enriqueciam às custas da miséria nacional. “Hoje temos um país com eleições, onde os cidadãos têm seus direitos políticos, esta é a democracia formal. Mas a democracia real que temos de conquistar só pode ser construída com justiça social. Sem ela não haverá democracia verdadeira. Também não haverá democracia formal que dure. Por isso reafirmo aqui o compromisso de dar minha vida se necessário para construir esta democracia real, um país mais justo no plano social, regional, étnico, com igualdade de gênero. Juntos, vamos construir uma Pátria sem opulência, porém sem esta miséria insultante que nos envergonha. Uma Pátria altiva, soberana, que nos deixe orgulhosos e da qual todos façamos parte. Ratificamos o compromisso de não retroceder jamais. Viva a revolução bolivariana e alfarista. Até a vitória sempre!”.